TPM: da prevenção ao tratamento
Saúde da Mulher

TPM: da prevenção ao tratamento

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter

De acordo com o Ministério da Saúde, a TPM (Tensão pré-menstrual) atinge mais de 70% das mulheres brasileiras. É caracterizada pelo conjunto de sensações que ocorrem cerca de 10 dias antes do início do ciclo menstrual.
A Síndrome Pré-Menstrual, que afeta de 2% a 5% das mulheres em idade fértil, é marcada por sintomas físicos e comportamentais semelhantes aos da TPM, mas muito mais severos. Além da sensibilidade alterada nas mamas e o inchaço na barriga, a irritabilidade, tristeza e ansiedade que marcam o período chegam a ser tão extremados que incapacitam a mulher a realizar tarefas do cotidiano.

As causas ainda estão relacionadas aos hormônios sexuais desregulados. Mas, pesquisas avançam na direção da carga genética, afirmando que as alterações de humor da TDPM estão relacionadas a alguns genes. Muito se tem discutido sobre como lidar e se a presença dos hormônios encontrados nas pílulas são realmente eficazes neste combate.

Seguindo o levantamento revisado pelo Dr. Linus Pauling Fascina, nem todas as mulheres sentem os mesmos sintomas relacionados à TPM. Assim, hoje, a medicina separou a tensão pré-menstrual em cinco tipos diferentes, que podem acontecer separadamente ou ao mesmo tempo nas mulheres.São eles: A,C,D, H e O.

Os sintomas podem ocorrer antes e durante a menstruação e são causados pela queda brusca dos níveis de estrógeno e progesterona.

Os fatores incluem:

  • Histórico familiar de TPM

  • Idade, sendo que os sintomas ficam mais comuns com o envelhecimento

  • Ansiedade, depressão ou outros problemas de saúde mental

  • Sedentarismo

  • Estresse

  • Uma dieta com baixo teor em vitamina B6, cálcio, ou magnésio

  • Alta ingestão de cafeína


Sintomas: o diagnóstico é baseado no histórico médico e informações sobre os últimos dois ou três ciclos. Os mais comuns:

  • Ansiedade

  • Tensão

  • Dificuldade para dormir

  • Irritabilidade

  • Alterações de humor

  • Desatenção, fazendo a mulher derrubar coisas e bater em objetos

  • Compulsão por doces ou salgados

  • Vontade de comer guloseimas ou comidas diferentes

  • Dores de cabeça

  • Raiva sem razão

  • Sentimentos perturbadores

  • Pouca concentração

  • Lapsos de memória

  • Baixa autoestima

  • Sentimentos violentos

  • Ganho de peso (por conta da retenção de líquido)

  • Inchaço abdominal

  • Sensibilidade e inchaço em mamas

  • Inchaço nas extremidades do corpo, como mãos e pés


Tratamento:

  • Adotar hábitos saudáveis

  • Realizar, pelo menos 2 horas e meia, de exercícios moderados, por semana

  • Manter uma dieta equilibrada - incluindo grãos integrais, proteínas, laticínios de baixo teor de gordura, frutas e legumes

  • Limitar cafeína, álcool, chocolate e sal

  • Considere suplementação de cálcio, ômega 3 e vitamina B6 com seu médico

  • Parar de fumar


Gerenciar a dor

  • Usar um medicamento anti-inflamatório não esteroide ou analgésico pode ajudar a aliviar a dor e reduzir o sangramento menstrual. Usar um sutiã com mais apoio, como um sutiã esportivo, pode ajudar a reduzir a dor na área.


Redução do estresse

  • Técnicas de relaxamento, tais como exercícios de respiração, yoga ou massagem terapêutica

  • Praticar uma melhor gestão do seu tempo e tentar dormir o suficiente

  • Criar um sistema de apoio. Junte-se a um grupo de apoio sobre TPM e busque o apoio de seus amigos e familiares


Para saber mais, consulte seu médico.

Dr. Linus Pauling Fascina. Especializado em Terapia Intensiva Pediátrica, pela Escola Paulista de Medicina. CRM: 60 529

 







linha

Relacionados

linha