Principais dúvidas sobre o DIU de Cobre: procedimentos pré e pós inserção
DIU de cobre

Principais dúvidas sobre o DIU de Cobre: procedimentos pré e pós inserção

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter

Para aquelas mulheres que tomaram a decisão de deixar de lado o uso de hormônios na busca da contracepção, provavelmente chegaram ao DIU de cobre como uma alternativa viável e eficiente na prevenção à gravidez. Feita a opção pelo dispositivo intrauterino, agora, surgem questões sobre como se dá a sua colocação, como o DIU de Cobre se comporta no organismo, quais são os seus efeitos etc. Para responder a estas e outras dúvidas, selecionamos as principais perguntas e respostas sobre as questões relacionadas ao pré e pós-procedimento de colocação do DIU.

Para quem o DIU é indicado?


O dispositivo intrauterino de cobre é indicado para mulheres que buscam um método contraceptivo seguro e livre de hormônios, e pode ser inserido em mulheres a partir da primeira menstruação.

Quais são os exames necessários a serem feitos antes da inserção do DIU?


Antes da inserção do DIU de Cobre é necessário que sejam realizados exames ginecológicos com o objetivo de verificar se não há malformações ou infecções no útero ou no sistema reprodutivo como um todo, o que poderia impedir a inserção do DIU ou mesmo reduzir a sua eficácia. Além do mais, exames ginecológicos para medir a profundidade do útero, a sua dilatação e direção também são realizados antes da inserção do DIU, a fim de se garantir a correta fixação do dispositivo.

Como é feita a inserção do DIU de cobre?


O procedimento de inserção do DIU de cobre é bastante simples, realizado no consultório de um médico ginecologista ou em um Posto de Saúde, e não exige anestesia. Antes da inserção do DIU, o colo do útero é limpo com um antisséptico aquoso e, posteriormente, o dispositivo é inserido por meio de um tubo de inserção. O tubo, que é esterilizado, carrega o DIU até fundo do útero, e fixa-o em sua correta posição.

O procedimento de inserção é dolorido?


O procedimento de inserção do DIU de Cobre, na grande maioria dos casos, não causa dores ou incômodos, ocorrendo de forma simples e tranquila. Para mulheres que apresentem algum tipo de incômodo ou dor, pode ser indicado que o procedimento seja realizado durante período menstrual, já que é neste momento que o canal cervical se encontra mais dilatado, o que facilita a sua inserção.

Após inserido, O DIU incomoda?


Algumas mulheres relatam o aumento do fluxo menstrual nos primeiros 3 meses após a inserção do dispositivo, mas que tende a se normalizar após este período. Cólicas e dores abdominais, apesar de não serem muito frequentes, também podem aparecer após a colocação do DIU. Assim como o aumento do fluxo menstrual, as cólicas e os possíveis incômodos tendem a passar rapidamente.

É possível verificar se o DIU está devidamente colocado?


O DIU de Cobre possui dois fios em sua extremidade inferior, que podem ser tocados e sentidos no canal vaginal. Verificar regularmente a presença destes fios é uma forma de a mulher saber que o dispositivo se encontra no local correto e está plenamente funcional.

No entanto, algumas mulheres relatam que seus parceiros podem sentir os fios durante as relações sexuais, o que causa incômodo. Isso se dá pelo fato de o fio ter sido cortado para além do necessário. Nestes casos, aconselha-se que os fios sejam cortados ainda mais, de forma que suas extremidades não fiquem para fora do canal cervical ou, ainda, há a possibilidade da colocação de um novo DIU, devendo os fios desta vez ficarem 3 centímetros para fora do cérvix.

Devo realizar exames frequentes após a inserção do DIU?


Após uma semana da inserção do DIU de cobre, recomenda-se que sejam realizados exames ginecológicos ou de imagens, como a ultrassonografia transvaginal, por exemplo, a fim de verificar se dispositivo se encontra corretamente alojado. A frequência dos exames após realização do procedimento deverá ser definida pelo médico, e pode variar de paciente para paciente.

O DIU de Cobre pode sair sozinho do lugar?


Apesar de pouco frequente, o DIU de Cobre pode sim se mover ou até mesmo ser expelido sozinho pelo corpo. A expulsão ocorre com mais frequência quando a inserção do DIU ocorre logo após o parto ou logo após a ocorrência de abortos, induzidos ou espontâneos.

O DIU é reversível?


Sim, uma outra grande vantagem da escolha por este método contraceptivo é que ele é plenamente reversível. Para tanto, basta procurar o seu médico ginecologista e solicitar a retirada, que é bem similar ao processo da inserção do dispositivo, ou seja, pode ser feito clinicamente e sem anestesia.

Qual a duração do DIU?


O DIU de Cobre é um método contraceptivo de altíssima duração, mantendo a sua efetividade por até 10 anos no organismo, sem a necessidade de que seja trocado. Caso o DIU de Cobre mostre-se um método contraceptivo adequado para você, procure um médico ginecologista de sua confiança ou vá até um Posto de Saúde para receber maiores orientações sobre o dispositivo. Para saber mas sobre o Diu de cobre clique aqui.

linha

Relacionados

linha