Posso colocar DIU de Cobre?
Saúde da Mulher

Posso colocar DIU de Cobre?

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter

O DIU, dispositivo intrauterino, tem o formato da letra T e é colocado dentro do útero da mulher por um médico ginecologista. Você já sabe como funciona o DIU, não é mesmo? Mas sempre vale a pena relembrar que ele é considerado um dos métodos contraceptivos mais eficazes.
O DIU de Cobre libera íons desse material que tornam o útero hostil e impedem a mobilidade do espermatozóide. O dispositivo ainda conta com outras vantagens, como não possuir hormônios e, por isso, não provocar efeitos colaterais relacionados à peso, diminuição da líbido ou alterações de humor. O DIU de Cobre também não tem sua eficácia diminuída com o uso de medicamentos e, o que é melhor, pode ficar por 10 anos no lugar – mas, se a mulher desejar engravidar antes desse limite, é só ir ao médico para retirá-lo.

Toda mulher pode colocar DIU de cobre?


Essa é uma das principais dúvidas das mulheres. E a resposta é: sim! O DIU de Cobre pode ser utilizado por todas as mulheres desde a adolescência até a menopausa – a única exceção das ainda virgens. Tanto uma mulher que nunca passou por uma gestação quanto aquela que teve mais de um filho, portanto, podem ser candidatas ao uso do DIU.
Mas como em qualquer situação que altere nosso organismo, é sempre importante conversar antes com um médico ginecologista para saber se esse é o método contraceptivo indicado para você.

Mulheres com a doença de Wilson, uma perturbação da metabolização do cobre, por exemplo, não podem ter DIU de Cobre; mulheres com câncer de mama sensíveis à progesterona não podem obter o DIU hormonal – somente o de cobre; e mulheres com miomas que distorcem o interior do útero não podem colocar nenhum dispositivo intrauterino.

O tamanho do útero interfere


Os DIUs surgiram na década de 60, nos EUA, mas popularizados somente na década de 70. Após vários avanços tecnológicos, os DIUs de cobre são menores e, portanto, mais fáceis de inserir. Hoje há quatro DIUs de cobre no mercado:

DIU T380A


Modelo mais comum de DIU, tem duração de 10 anos após sua inserção e é indicado para úteros com histerometria – que é o comprimento interno da cavidade uterina - maior que 6 centímetros.

DIU Ômega Cu375


Com formato em ferradura, visa aumentar a fixação no fundo uterino.

DIU Cu375 Mini


Também conhecido como ômega mini, é indicado para histerometrias menores que 6 centímetros.

DIU de cobre com prata


Combina prata e cobre, com a intenção de aumentar eficácia, porém sem comprovação científica.

O tamanho do útero das mulheres, portanto, deve ser avaliado antes pelo médico ginecologista, para ver qual DIU de cobre é recomendado. O Sistema Único de Saúde (SUS) – bem como os planos de saúde – fornecem apenas o modelo T380A, cujo comprimento é de 36 milímetros e envergadura de 32 milímetros. Mas as chances de ele não ser compatível são realmente muito baixas – estima-se que 1%.

E dói para colocar DIU?

Apesar de depender da sensibilidade de cada mulher, a maioria das pacientes sente apenas um leve desconforto na inserção do DIU, como uma espécie de cólica menstrual. A retirada do dispositivo também é um procedimento simples e, em geral, indolor.

Gostou das informações dessa semana?

Nas próximas iremos trazer muito mais!

linha

Relacionados

linha