O DIU pode causar infecções?
Saúde da Mulher

O DIU pode causar infecções?

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter

Você já leu aqui no blog sobre os inúmeros benefícios em colocar o DIU de cobre, certo? Então já deve saber que ele é um dos métodos contraceptivos mais eficazes, com risco de gravidez de apenas 0,7%, e pode permanecer no corpo feminino por 10 anos.

Esse tempo de validade faz com que o DIU de cobre seja ainda um dos métodos contraceptivos mais baratos - inclusive disponível no Sistema Único de Saúde, o SUS, e coberto pela maioria dos planos de saúde. E apesar de ficar por 10 anos no lugar, pode ser retirado a qualquer momento pelo ginecologista. Ou seja, se desejar engravidar, basta ir ao consultório médico para retirá-lo.

E os benefícios não param por aí! Diferentemente de outros métodos para prevenir a gravidez, o DIU de cobre é isento de hormônios e, por isso, tem menos efeitos colaterais relacionados à alteração de humor, peso ou diminuição de libido. Além disso, não tem sua eficácia diminuída com o uso de nenhum medicamento. 

Por outro lado, ele se assemelha a outros dispositivos intrauterinos com relação ao risco de infecções. Apesar dos casos serem raríssimos, eles podem, sim, ocorrer. Mas fique calma! Se forem respeitadas as indicações de colocação, feitas por um médico ginecologista experiente, de confiança e que faça a assepsia adequada, não haverá riscos.

O DIU não provoca a infecção


É sempre bom explicar uma coisa: o DIU, em si, não provoca as infecções - a não ser que haja perfuração do útero pelo médico, algo extremamente raro tendo em vista a vasta experiência dos ginecologistas no assunto. O que pode acontecer é o dispositivo intrauterino, por ser um corpo estranho, ajudar a manter as infecções já existentes. Isto é, se a pessoa estiver exposta a bactérias, por exemplo, o DIU acaba sendo colonizado e se torna uma fonte de infecção.

E essas infecções no útero podem comprometer o funcionamento das trompas, dificultando o deslocamento do óvulo fecundado até o útero. 

É sempre importante lembrar que o DIU, em hipótese alguma, causa infertilidade. Ele é um dos métodos contraceptivos mais eficazes por liberar pequenas quantidades de cobre no útero, provocando uma reação inflamatória que não faz mal ao organismo, mas torna a região hostil ao espermatozoide. Quando ele é retirado, o útero se torna, novamente, fértil.

É possível tratar infecções? 


Caso haja infecção, ela é tratada com antibiótico e o acompanhamento médico é imprescindível. Para as mulheres que colocaram o dispositivo, basta aumentar o cuidado a fim de evitar situações de risco para o surgimento de infecções e ficar atenta a sinais como odor estranho, dores pélvicas, corrimento e febre. Se a infecção for diagnosticada, o DIU é retirado.

Há algumas mulheres que já têm risco aumentado para infecções e não devem, portanto, recorrer ao dispositivo. A recomendação se aplica àquelas que tenham (ou tiveram):

- múltiplos parceiros;

- histórico de doenças sexualmente transmissíveis;

- sangramento cujas causas não foram descobertas;

- infecções recentemente. 

Se você não se encaixa no perfil acima, pode ficar tranquila que o DIU de cobre traz inúmeras vantagens. E fazer acompanhamento com seu médico ginecologista é sempre importante para sua saúde sexual!

Até a próxima semana!

linha

Relacionados

linha