#minhaescolhaD: A reunião de planejamento familiar e novas informações sobre a inserção
DIU de cobre

#minhaescolhaD: A reunião de planejamento familiar e novas informações sobre a inserção

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter

No dia 21 de agosto, eu e meu companheiro fomos até a Amil em Santo Amaro, São Paulo - Capital , no horário marcado, imaginando que já teríamos a consulta com a ginecologista. Ao apresentar a carteirinha no balcão, a atendente chamou a Veridiana – que até então achávamos que fosse a ginecologista com a qual marquei o horário e que, na verdade, era a enfermeira responsável por explicar o que era o programa de planejamento familiar da Amil. Pontualmente fomos direcionados para uma sala, com outras pessoas, onde havia uma apresentação sobre planejamento familiar. Cada um dos presentes havia sido chamado pela Veridiana: dois interessados em vasectomia, uma em laqueadura e a maioria na inserção ou reposição de DIU. Todos foram perguntados sobre o procedimento desejado, se eram casados ou se viviam em união estável e se já tinham filhos.

Feita a triagem, teve início uma completa apresentação sobre planejamento familiar e as etapas do processo que estávamos prestes a começar. Ao todo são 5 etapas e eu já tinha passado pelas duas primeiras: demonstrei meu interesse em colocar o DIU de cobre pelo plano de saúde e fui apresentada ao projeto de planejamento familiar. A terceira etapa consiste na primeira consulta médica para uma avaliação. A quarta etapa é o procedimento de inserção do DIU. E a quinta e última etapa é o retorno para controle 30 dias após a inserção do DIU.

Além da explicação de todo o processo, também foi comentada a questão jurídica do planejamento familiar – citando a Lei nº 9.263, de 02.01.1996, que estabelece penalidades e dá outras informações sobre planejamento familiar. Muitas informações novas para mim, que não tinha muita ideia sobre as outras opções disponíveis para o tal planejamento.

Também na apresentação, fui exposta a uma explicação detalhada sobre cada método contraceptivo disponível: eficácia, indicações, contraindicações, reações após o procedimento e outras informações.

Pessoalmente meu maior interesse estava no DIU. Foram apresentadas duas opções – o DIU de cobre e o DIU hormonal – e explicado que o método escolhido dependeria também de uma avaliação médica. As vantagens do DIU de cobre foram bem reforçadas, como o fato de ser muito eficaz e reversível, não conter hormônios e durar até 10 anos. Alguns alertas importantes também foram dados, como o possível aumento do fluxo menstrual e de cólicas nessa etapa inicial, além dos 3 meses, no mínimo, para o corpo possa se acostumar com o DIU de cobre.

Após a apresentação, recebemos um requerimento simples, necessário para agendar a consulta com a ginecologista, para que ela então pudesse solicitar os exames antes de marcar a inserção do DIU de cobre. Assim, retornamos ao balcão de atendimento para marcar a consulta, que ficou para o dia 28 de agosto.

 

No próximo post, você confere os próximos passos da história da leitora Beth, que está em processo de colocação do DIU de cobre pelo plano de saúde.

linha

Relacionados

linha