A idade pode influenciar nos efeitos colaterais para usuárias do DIU?
DIU de cobre

A idade pode influenciar nos efeitos colaterais para usuárias do DIU?

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter

Seja pela sua altíssima eficácia, seja pelo fato de ser um método reversível de longa duração ou mesmo pela questão de não possuir hormônios, o DIU de cobre (Dispositivo Intrauterino de Cobre) é um método contraceptivo que vem ganhando cada vez mais espaço no Brasil e no mundo.

E com o crescimento de interesse cada vez maior pelo método, nada mais natural do que o surgimento de algumas dúvidas a seu respeito, como por exemplo sobre relação entre o uso do dispositivo intrauterino de cobre, a idade das mulheres que o escolheram e seus possíveis efeitos colaterais.

O DIU de cobre pode ser usado em todas as idades?


O DIU de cobre é um método que pode ser adotado por todas as mulheres que estejam em idade reprodutiva, ou seja, desde a primeira menstruação até a menopausa.

De acordo com o Manual Técnico para Profissionais de Saúde – DIU com cobre Tcu 380 A, “O DIU com cobre, quando inserido dentro do útero, exerce ações locais que culminam por evitar a gestação, apresentando-se como um método seguro para evitar a longo prazo uma gestação. Pode ser usado em qualquer idade do período reprodutivo, sem a necessidade da intervenção diária da mulher e sem prejudicar a fertilidade futura.”

Posso usar o DIU de cobre mesmo sem nunca ter engravidado?


Sim, o uso do DIU de cobre por mulheres jovens, principalmente as que que nunca tiveram filhos (nulíparas) é totalmente possível.

Antigamente, acreditava-se que o DIU de cobre não era o método ideal para mulheres que nunca foram mães, creditando ao dispositivo menor eficácia, maiores complicações e efeitos adversos quando comparado a outros métodos.

Atualmente, no entanto, estudos têm evidenciado que o método é seguro e eficaz para mulheres de todas as idades, que já tiveram ou não filhos. Foi isso a conclusão de um largo estudo de revisão bibliográfica realizado por Rogério Bonassi Machado, que é presidente da Comissão Nacional em Anticoncepção da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.

De acordo a conclusão do estudo:

“O uso de DIUs em nulíparas pode ser indicado, com benefícios que superam os riscos suportados por evidências consistentes, incluindo elevada eficácia, aceitação e segurança. A nuliparidade associa-se a maior intensidade da dor e dificuldades técnicas decorrentes da inserção. Entretanto, a maior parte das inserções são bem toleradas, refletindo-se em elevada continuidade e taxas de expulsão menores do que as encontradas em multíparas. Não há aumento no risco de perfuração, doença inflamatória pélvica e infertilidade com o uso dos DIUs em nulíparas.”

De acordo com informação do Blog da Saúde, do Ministério da Saúde, “O DIU pode ser utilizado desde a adolescência até a menopausa. Hoje já se sabe que uma mulher que nunca passou por uma gestação, mesmo adolescente, e aquela que passou por uma cirurgia cesariana, podem ser candidatas ao uso do DIU. Além disso, pode ser usado por mulheres que estão amamentando e não interfere na produção, quantidade e qualidade do leite materno”.

O DIU de cobre é eficaz para mulheres com mais de 35 anos de idade?


Apesar de a taxa de fertilidade feminina entrar em declínio com o avanço da idade, cuja chance de se engravidar naturalmente cai em média 50% a partir dos 35 anos de idade, isso não significa de maneira alguma que a ocorrência de uma gravidez deva ser totalmente descartada.

Muito pelo contrário! Manter atenta a vigilância e todos os cuidados contraceptivos necessários é extremamente importante.

Mas para muitas mulheres que já passaram do auge reprodutivo, ou seja, do período em que a probabilidade de se engravidar é maior, que é na casa dos 20 anos, certas dúvidas sobre o uso do DIU de cobre e possíveis efeitos colaterais podem surgir, como por exemplo se é segura a utilização do dispositivo a partir desta idade.

De acordo com o Manual de Planejamento Familiar, elaborado pela OMS – Organização Mundial de Saúde e diversas outras entidades, as taxas de expulsão do DIU de cobre caem ao longo da idade, “e são as mais baixas em mulheres acima de 40 anos de idade”.

No entanto, ainda segundo o manual, “a colocação pode ser mais difícil devido ao canal cervical ficar mais apertado”.

É também interessante lembrar que o uso de métodos contraceptivos à base de hormônios, como por exemplo o estrogênio, podem aumentar o risco de eventos tromboembólicos venosos e arteriais.

Outros fatores de risco, como idade, obesidade, tabagismo, diabetes, hipertensão também podem ser entraves para o uso de métodos contraceptivos baseados em hormônios.

Desta forma, o DIU de cobre mostra-se como um método interessante para as mulheres com mais de 40 anos ou que possuam alguns destes problemas.

Segundo com a Associação dos Profissionais em Saúde Reprodutiva dos EUA, “a ausência de hormônios faz com que os dispositivos intrauterinos sejam apropriados para mulheres fumantes acima dos 35, mulheres em pós-parto e que estejam amamentando ou para mulheres que possuam contraindicações ao estrogênio ou à progesterona”.

Além do mais, vale ressaltar que, de acordo com os critérios médicos adotados pelos EUA e Reino Unido, o DIU de cobre é um dos métodos considerado como “sem restrições” para mulheres com mais de 40 anos de idade.

Escolhendo o método ideal


Não existe um método contraceptivo universalmente perfeito para todas as pessoas. Assim, a escolha do método contraceptivo ideal deve ser tomada de acordo com cada caso, analisando-se as peculiaridades e particularidades de cada mulher.

Para tanto, além de pesquisar informações sólidas e consistentes sobre os diversos métodos existentes, conversar com médicos especialistas e realizar todos os exames que sejam necessários para subsidiar essa escolha é de fundamental importância para que se chegue à definição do método mais adequado.

Portanto, se o DIU de cobre se mostra como uma possibilidade interessante para o seu caso, não deixe de ir até uma Unidade Básica de Saúde ou agendar uma consulta com um médico ginecologista-obstetra para obter mais informações sobre este eficiente método de contracepção.

Quer saber mais sobre o DIU de cobre? Acesso nosso blog!

linha

Relacionados

linha