DIU de Cobre e sua relação com medicamentos
DIU de cobre

DIU de Cobre e sua relação com medicamentos

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter

Dentre os métodos contraceptivos existentes no mercado, o Dispositivo Intrauterino de Cobre - o DIU de Cobre - destaca-se como uma das opções mais eficazes para as mulheres que buscam evitar a gravidez.

Diferentemente de outras formas de contracepção, como por exemplo a pílula anticoncepcional, que age liberando hormônios capazes de impedir a ovulação, o DIU de Cobre age localmente no útero, impedindo que a fecundação ocorra.

O cobre presente no dispositivo funciona como uma espécie de espermicida, que inibe o movimento do gameta masculino, impedindo-o de atingir o óvulo. Além do mais, a liberação gradativa de íons de cobre no interior do útero permite a formação de uma espécie de muco cervical, que também ajuda a evitar a passagem do espermatozoide e garante que a fecundação não ocorra.

A interação medicamentosa com os anticoncepcionais orais e o DIU de cobre


Segundo um estudo de revisão da literatura médica, que versa sobre a interação entre os anticoncepcionais hormonais orais e uma série de outros medicamentos, as pílulas anticoncepcionais quando ministradas simultaneamente com outros medicamentos, podem ter a sua eficácia diminuída.

Fármacos como antibióticos, levotiroxina sódica, alguns fitoterápicos, corticoides e derivados do ácido retinoico podem interferir negativamente no desempenho de alguns contraceptivos orais.

No Manual de Anticoncepção da FEBRASGO – Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetricia, não há menção explícita à questão da interferência ou não do uso de medicamentos no desempenho contraceptivo do dispositivo intrauterino de cobre.

Há menção no manual acima mencionado, no entanto, da contraindicação do uso do dispositivo intrauterino para as mulheres que apresentam alergia ao cobre. Essa condição alérgica, no entanto, é bastante rara. O manual também cita como contraindicações para a inserção do DIU de cobre, dentre outras, a má formação do útero, a existência de câncer uterino e presença de determinadas infecções já no organismo.

Em artigo que trata de métodos contraceptivos na adolescência, há menção ao fato de que o DIU de cobre tem a sua eficácia contraceptiva reduzida nos casos em que há a necessidade do uso de medicamentos imunossupressores, como por exemplo os destinados ao tratamento de certas doenças, como o lúpus eritematoso sistêmico.

No entanto, em cartilha da Prefeitura Municipal de São Paulo que trata sobre o dispositivo intrauterino de cobre, a informação é a de que o dispositivo não interfere com outras medicações.

DIU de cobre é um método contraceptivo extremamente eficaz, reversível e de longo prazo.


O DIU de Cobre é uma haste plástica de poucos milímetros, em formato de T ou em formato de âncora, que é inserido no colo do útero e que apresenta taxas contraceptivas altíssimas, da ordem de 99,3%.

Além de não fazer o uso hormônios para evitar a gravidez, o DIU de Cobre apresenta como vantagens o fato de ser um contraceptivo totalmente reversível e de longo prazo, podendo ficar “esquecido” no organismo por um período de até 10 anos, a depender do modelo do DIU implantado, sendo que a sua eficácia se mantém a mesma durante todo o período.

O procedimento de inserção do DIU se dá de forma rápida, simples e indolor, no consultório ou ambulatório do médico ginecologista, não havendo, portanto, a necessidade de anestesia.

O DIU de Cobre é indicado para mulheres de todas as idades, desde a adolescência até a menopausa, não importando o fato de a mulher já ter ou não engravidado alguma vez na vida.

Como o DIU de cobre não faz uso de hormônios ele é um método altamente indicado para mulheres que estão amamentando ou que possuem contraindicações aos métodos contraceptivos à base de estrogênio.

Vale lembrar, no entanto, que a decisão acerca do melhor método contraceptivo é uma tarefa a ser tomada em conjunto, tanto pela mulher quanto pelo seu médico ginecologista, que é o profissional habilitado e capacitado para verificar a especificidade de cada caso.

O uso da camisinha é também sempre recomendado, já que o DIU de Cobre apenas impede a gravidez, não sendo um método contraceptivo de barreira que previne as usuárias das doenças sexualmente transmissíveis, como hepatite, a sífilis e a AIDS.

linha

Relacionados

linha