Diferença entre o DIU de Cobre e o DIU Hormonal
DIU de cobre

Diferença entre o DIU de Cobre e o DIU Hormonal

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter

Para as mulheres que buscam um método contraceptivo reversível e de longo prazo, os dispositivos intrauterinos, como o Dispositivo Intrauterino de Cobre - DIU de Cobre e o SIU-LNG – Sistema Intrauterino Liberador de Levonorgestrel, também conhecido como DIU Hormonal ou Mirena (nome comercial do produto) surgem como uma interessante opção para se evitar a gravidez. Apesar de ambos ficarem alojados no interior do útero, a semelhança entre os métodos termina por aí. A diferença entre o DIU de Cobre e o DIU Hormonal, SIU-LNG, reside na questão hormonal. O DIU de Cobre não se utiliza de hormônios para impedir a gravidez. Já o Mirena, ao contrário, tem na liberação diária de hormônios a sua eficácia contraceptiva.

Como o DIU de Cobre e o Mirena impedem a gravidez?


O DIU de Cobre, segundo o Manual de Anticoncepção da FEBRASGO – Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetricia, é altamente eficaz em prevenir a gravidez, e funciona de forma a impedir que o espermatozóide e o óvulo se encontrem, impedindo a fecundação.

Isso ocorre, pois, os íons de cobre impedem a locomoção dos espermatozoides. Além do mais, a presença do dispositivo produz modificações no muco cervical, que dificultam ainda mais a fecundação.

Já o DIU Hormonal (Mirena) evita a gravidez através da liberação diária do levonorgestrel, um tipo de hormônio sintético similar à progesterona. A liberação constante de hormônios impede que o endométrio, a camada que reveste o útero, se desenvolva e torne-se espessa o suficiente para suportar a gravidez.

O dispositivo hormonal também proporciona a formação de um muco cervical mais espesso que impede que o espermatozóide entre em contato com o óvulo e reduz a capacidade de mobilidade do gameta masculino dentro do útero.

Tempo de duração e eficácia: diferença entre o  DIU de Cobre e o DIU Hormonal


Uma diferença entre o DIU de Cobre e o Mirena é que aquele (cobre) pode ficar inserido por até 10 anos ininterruptos no organismo, mantendo sua eficácia ao longo de todo o período. Já o dispositivo hormonal mantém sua eficácia pela metade do tempo, ao longo de 5 anos, tendo que ser substituído após esse período.

Alterações no ciclo menstrual


Outra diferença entre o DIU de Cobre e o DIU Hormonal é que o dispositivo intrauterino de cobre, como não se utiliza de hormônios para prevenir a gravidez, não interfere no ciclo menstrual, ou seja, não impede a ovulação. O Mirena, por outro lado, por ter como base contraceptiva a liberação do hormônio sintético Levonorgestrel, altera o ciclo menstrual. Podem haver mudanças nos períodos menstruais, tornando os sangramentos mais longos ou mais curtos, com quantidades maiores ou menores ou até mesmo tornando-os inexistentes. É comum a não ocorrência de sangramentos menstruais.

Por alterar a espessura do endométrio, o DIU Hormonal é muitas vezes indicado como tratamento para o sangramento menstrual excessivo quando não há uma causa orgânica. Ele também é empregado para tratar o aumento excessivo da camada interna do útero (hiperplasia endometrial) decorrente de terapia de reposição hormonal.

Efeitos colaterais: DIU Hormonal x DIU de Cobre


Outra diferença entre o DIU de Cobre e o DIU Hormonal reside em seus efeitos colaterais. O DIU de Cobre, por ser livre de hormônio, não tende a gerar efeitos colaterais associados ao seu uso. No entanto, pode haver o aumento do fluxo menstrual e um certo desconforto abdominal decorrentes da inserção do dispositivo. Estes sintomas, no entanto, tendem a passar em um curto período após o procedimento, dependendo de cada caso.

Já o dispositivo hormonal, segundo a bula do Mirena, pode ocasionar alguns efeitos colaterais, como dores de cabeça, dores abdominais e pélvicas, alterações no fluxo menstrual, vulvovaginite, corrimento genital, alterações do humor, enxaquecas, náusea, acnes, dores nas mamas, dentre outros, que podem ocorrer com certa frequência.

Inserção dos dispositivos intrauterinos


A inserção do DIU de Cobre é um procedimento simples e rápido, que pode ser realizado no próprio consultório do médico ginecologista. O dispositivo é fornecido gratuitamente pelo SUS – Sistema Único de Saúde. Assim como o DIU de Cobre, a inserção do Mirena pode ocorrer no próprio consultório do médico ginecologista de forma simples e rápida. No entanto, o Mirena não é um método contraceptivo oferecido gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde.

Consulte seu médico ginecologista


A escolha do método contraceptivo a ser adotado por cada mulher é uma decisão que deve ser bastante pensada, realizada sempre através da busca exaustiva por informações e da consulta a profissionais (médicos ginecologistas) devidamente capacitados para esta tarefa, capazes de analisar o histórico médico e os hábitos de cada paciente e indicar o método mais eficiente para cada caso.

É sempre importante lembrar que tanto o DIU de Cobre quanto o DIU Hormonal são métodos que impedem apenas a gravidez, mas não oferecem nenhum tipo de proteção contra as DSTs – Doenças Sexualmente Transmissíveis, como a sífilis, AIDS, gonorreia e hepatites, por exemplo. O uso de preservativos, como as camisinhas masculinas e femininas, são os únicos meios capazes de impedir o contágio destas doenças.

linha

Relacionados

linha