Abstinência sexual: por que a tabelinha não é uma boa alternativa
Comportamento

Abstinência sexual: por que a tabelinha não é uma boa alternativa

Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter

Algumas mulheres usam o método contraceptivo natural para evitar a gravidez: a abstinência sexual, ou a famosa tabelinha. Mas é claro… nem sempre dá certo.

55% das brasileiras com filhos não planejaram engravidar, segundo a Fiocruz. Esse índice coloca o Brasil acima da porcentagem média encontrada no mundo.

Com esses números alarmantes, reunimos neste artigo informações que mostram que a tabelinha não é segura e o porquê não vale a pena a abstinência sexual para não engravidar.

Além disso, você vai descobrir que existem métodos contraceptivos que não exigem a ausência de relações sexuais.

Quer saber? Leia o artigo até o final. Não vai custar nem 5 minutinhos do seu tempo.

Afinal, o que é abstinência sexual?


A abstinência sexual é a ausência de relações íntimas. Na maioria das vezes, o casal faz esta escolha durante o período fértil da mulher para evitar a gravidez.

Com essa estratégia, eles não usam nenhum método contraceptivo artificial, como camisinha, pílulas ou DIU. Popularmente, é chamada de tabelinha.

Na prática, o casal só tem relações sexuais quando a mulher supostamente não está mais em seu período fértil. O que é um erro.

A tabelinha é um método que funciona apenas para mulheres que têm ciclos regulares. Mesmo assim, o corpo não é um relógio, podendo ocorrer falhas e atrasos no período fértil.

Sendo assim, o risco de gravidez é grande. Há casos de mulheres que engravidam em qualquer época do ciclo, até mesmo durante a menstruação.

Portanto, é um método ineficaz.

Geralmente, a escolha pela tabelinha se deve aos efeitos colaterais de alguns métodos contraceptivos artificiais, como a pílula anticoncepcional. Pesquisas indicam também que a maioria dos homens não gosta de usar camisinha.

Mas a abstinência sexual pode trazer alguns para a saúde, como reduzir a libido, aumentar o estresse, promover uma má circulação sanguínea e até provocar lapsos de memórias.

Em alguns casos, porém, a abstinência sexual é indicada:

  • Para se recuperar de uma cirurgia;

  • Após o parto;

  • Durante o tratamento de doenças sexualmente transmissíveis;

  • Antes de realizar exames ginecológicos;

  • Por escolha própria.


Os benefícios do sexo


Como a abstinência sexual é a escolha de muitos para evitar a gravidez, o casal acaba não aproveitando todos os benefícios do sexo.

O sexo é importantíssimo para o relacionamento e promove benefícios inclusive para a saúde, como:

  • Proteção cardiovascular: o sexo como um exercício moderado aumenta o trabalho cardíaco e da pressão.

  • Remédio contra a dor: durante o sexo, há liberação de hormônios e neurotransmissores, entre elas a endorfina.

  • Autoestima: o sexo eleva a autoestima do indivíduo porque ele se sente desejado pelo outro;

  • Sono pesado: ao final do sexo, ocorre uma mistura de bem-estar e exaustão.


Fazer sexo faz muito bem à saúde.

O método contraceptivo certo não exige abstinência sexual


Existe o método contraceptivo certo que não exige a abstinência sexual.

É o DIU de Cobre.

Revestido de cobre, o dispositivo intrauterino libera pequenas quantidades de cobre no útero, gerando uma reação inflamatória que impede a ação do espermatozóide.

Além de fácil aplicação, as chances de engravidar usando o DIU de Cobre são de apenas 0,8%. São vários os benefícios dele…

  • ...mais prazer;

  • ...liberdade sexual;

  • ...proteção contra gravidez indesejada;

  • ...eficácia duradoura.


Com ele, o casal não precisa fazer a famosa tabelinha para evitar uma gravidez indesejada.

Se você quer aproveitar todos esses benefícios, o DIU de Cobre Optima possui o melhor custo-benefício do mercado. É possível adquiri-lo diretamente pela internet.

linha

Relacionados

linha